Por Paulo Heineken

Guitarra Geral e Peso

A guitarra pesa aproximadamente 3 kg. Braço e corpo em Mogno (asiático). A folha de flamed maple que veio é linda e na parte traseira tem uma pintura vermelha translúcida, possibilitando a visualização de todas as 3 emendas do instrumento, ou seja, não é uma folha enganando você.

Todos os frisos estão bem colocados sem defeitos, o braço é colado.


Parte Eletrica:

A Parte elétrica conta com uma organização muito bem elaborada, o que mostra que a Cort não está de brincadeira nesse mercado competitivo de instrumentos com um custo mais baixo. Dispõe também de um dispositivo do tipo Push Pull que sinceramente não empolga. Você perde ganho e graves, mas passa longe da proposta de transformar teu som em um timbre típico de single coils.

Constatei um incômodo no botão giratório do push pull, que é o parâmetro do tone. Ele é um pouquinho mais solto. Em um show mais movimentado, por exemplo, você pode acabar esbarrando sem perceber e atrapalhar seu timbre e até sua performance.

Hardware:

Talvez seja o ponto que mais me surpreendeu, até porque não botava fé que uma guitarra nessa faixa de preço tivesse um bom conjunto de hardware.

A guitarra não desafina com facilidade, mesmo com bends mais agressivos ela se manteve afinada. Notei que o nut tem boa qualidade. Dá para ficar com as tarraxas e nut tranquilamente sem trocar. Na troca de cordas, não tive problemas também.

A ponte já veio regulada de fábrica e tem um aspecto muito bonito, no mesmo nível das tarraxas, e veio com as 8° afinadas (PASME)!! Provavelmente a importadora mandou para um luthier regular. Ressalvo que na minha modesta opinião, todos os instrumentos comercializados em loja deveriam ser assim, é normal chegar nesses lugares e pegar um instrumento completamente desregulado porque a importadora não se importa (péssimo trocadilho, anh?) com o consumidor.


Braço

“Modern C shape”, segundo o site da fabricante. A pegada é bem mais moderna que de uma Les Paul tradicional, fácil acesso até a vigésima segunda casa e não é tão gordo.

Os trastes vieram bem colocados, porém não totalmente sem erros. Olhando mais friamente, pude perceber que os últimos estão um pouquinho “quadradões”. É algo que não chegou a me incomodar e nem alterar o timbre, mas incomodariam o Eric Johnson.

Acho que seria melhor um traste um pouco mais gordo que esses, igual aos 6100 da Dunlop. O braço é colado no instrumento e dividido em duas peças, utilizando a técnica de colagem espanhola, e a marcação é madrepérola com detalhe em Abalone.  Bem bonito o detalhe por sinal. O headstock é 3×3, pequeno, lembrando até um pouco as Peavey Wolfgang, tanto no modelo como no tamanho.

Corpo

O flamed-top é muito bacana! Não vi as outras cores pessoalmente, tem azul e vermelho sunburst também e se todas seguirem o padrão de beleza da vermelha, seria difícil entrar na loja e escolher qual cor levar pra casa.

O corpo da guitarra na prática se encaixa bem ao músico e é bastante confortável tanto em pé como sentado.

Achei só um pouco pequeno o encaixe na parte superior traseira. Caso a pessoa seja mais “fortinha” e esteja acostumada com stratos que são mais ergonômicas, no começo, vai demorar pra se acostumar.

Cort M600 com a captação original

Pickups:

São captadores bem silenciosos!!

Na minha veio com um set de dois Duncan Designed Chrome Covered HB102. Há também a opção com Emghz.

Soa muito bem na guitarra, não embola mesmo com muito drive. Esses captadores provavelmente são uma cópia dos famosíssimos jb e 59.

Para distorção você terá bastante ganho com o captador da ponte, que tem médios e agudos acentuados. Para clean, o do braço te dará o “crunch amaciado” que você precisa. A posição do braço também é muito bacana para passagens e solos mais rápidos naquele esquema meio John Petrucci.  

Com muito drive, atravessei as áreas do hard rock e heavy metal sem problemas. Já com pouco, dá pra viajar em blues, funk, pop… tudo o que pede gordura! O som dela realmente é uma camada de tecido adiposo! Tão delícia como uma margarina (e você curte ainda mais quando lembra que não desembolsou uma fortuna por essa guitarra).

Com o Push Pull ativado perde ganho e graves, mas sinceramente? Achei que ficou bem abaixo do esperado. O som tentando ser magro me pareceu um pouco perdido nessa guitarra. O mais interessante com ele ativado foi usar captador da ponte e braço ao mesmo tempo.

Eu cheguei a trocar por Emgs 81 85 na época, por puro capricho e preço (o dólar era viável). Um upgrade é sempre bem vindo, mas não vejo uma necessidade real tão urgente nesse sentido com esses captadores originais da Cort. Vem comigo, que você passa de ano!

Em afinações baixas como um drop C por exemplo, eu gostei bastante! Fiz alguns covers e obtive um resultado excelente com essa guitarra com os Emgs.

Uma breve comparação: Alem da Cort, eu tive uma LTD 401Qm.

As duas guitarras de mogno com o mesmo captador soavam completamente diferentes, sendo que a Cort trazia mais graves e um som mais agressivo que a própria Ltd 401, guitarra confeccionada já pensando no público de metal.

Cort M600 com a captação Emg

Conclusão final

No final, a guitarra possui um custo-benefício interessantíssimo. Gasta-se menos que R$ 1.500 e você não precisa necessariamente fazer upgrades nela.

O hardware é eficiente, a captação atende a maioria dos guitarristas e para completar, pelo menos na minha opinião, ela tem um visual muito bonito! Não faz feio diante das mais caras.

Essa felizmente é uma guitarra que eu recomendo de olhos FECHADOS, principalmente pra quem está com pouca grana e quer ter um instrumento bacana sem se apegar a merchandise e marcas.

Cort M600

• Set-in / 24.75″

• Corpo em Mogno com Flamed Maple Top

• Braço em Mogno

• Escala em Rosewood 

• Captação Duncan Designed® Chrome Covered HB102 (H-H)

• Tarraxas Diecasting

• Ponte TonePros® Lic. com Tailpiece

• Hardware CR(Chrome) 

• Cores : AVD (Antique Violin Dark), BBB (Bright Blue Burst)

Notas de 0 até 10

Acabamento – 7,5

Timbre Limpo – 6

Timbre Crunch – 6

Timbre Dist – 7

Sustain – 8

Pegada do braço -7

Parte Elétrica – 7,5

Relação C/B – 10

Prós:

Preço

Acabamento muito bom

Ótimo Hardware

Contras:

Trastes poderiam ser mais grossos 

Botão de Tonalidade um pouco amolecido

Qualquer dúvida referente ao instrumento, pode gritar.


Leave a Reply